Aplicativos móveis: solução para a decadência das Tvs?

 

A convivência entre internet e as emissoras de TV tem sido muito danosa. As tradicionais detentoras da programação audiovisual, voltadas para a televisão, vem perdendo espaço para as mídias online, fazendo com que suas respectivas audiências despenquem ano após ano. Até mesmo as atrações mais vistas na emissora mais famosa, como o Jornal Nacional e as novelas do horário das 21 horas, não alcançam mais os expressivos números de outrora.

Muitos fatores podem explicar esse fenômeno, dentre eles a popularização da internet e das redes sociais. Isso faz com que todo tipo de conteúdo que tínhamos que esperar horários específicos para que tivéssemos acesso, esteja ao nosso alcance 24 horas por dia. A exclusividade e o furo da notícia são fatos que fazem parte de um passado já distante. As gerações mais atuais também têm preferido se informar e consumir conteúdo de entretenimento de forma online, não só por poder fazer seu próprio horário, como também pelo fato de que os veículos que já nasceram da internet conseguem se aproximar mais do público, seja pela linguagem, ou por conseguir se comunicar melhor.

 

3 - tv globo

Mas, se você pensou que os grandes barões da mídia ficariam parados, vendo sua audiência, e consequentemente, suas verbas publicitárias minguarem, está muito enganado. Além do tradicional lobby junto ao governo, está havendo um movimento cada vez maior de produção de conteúdo para a internet. Um caso que vem me chamando a atenção é o aplicativo “Globo Play”, criado para reproduzir o conteúdo da Rede Globo de Televisão em todos os formatos de tela. Além de disponibilizar os principais programas da emissora, inclusive “ao vivo”, quem é assinante assiste em primeira mão a atrações que sequer foram ao ar. E a emissora tem usado grande parte de sua programação para divulgar o aplicativo, enfatizando a exclusividade do conteúdo para assinantes.

É claro que ainda é um primeiro passo, que está longe de incomodar as principais plataformas de streaming, como a Netflix, mas esse movimento deve ser levado em consideração, visto que pode ser um caminho a ser seguido pelas outras emissoras, o que tornaria a briga muito mais interessante. O fato é que o formato do conteúdo produzido para a televisão no brasil está ultrapassado, e só agora as emissoras começaram a se dar conta que o interesse diminuiu e a forma de consumo mudou. Aguardemos os próximos capítulos dessa novela…

 

Sobre Victor Hugo (18 artigos)
Victor Hugo Ximenes Descrição: Jornalista formado pela Universidade Candido Mendes, atua na área de produção de conteúdo e assessoria de comunicação para políticos e instituições. Atualmente cursa pós graduação em marketing digital na FGV. Apaixonado por música, aviação e fotografia, adora registrar rostos, paisagens e esporadicamente trabalha em eventos. Apesar do apreço pela tecnologia também é um crítico de como ela influencia no comportamento humano e se torna um vício que afasta as pessoas umas das outras e de si mesmas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: