Espelho, espelho meu! Sou eu coerente comigo mesmo?

Foto divulgação da internet

 

 

Como seria bom se tivéssemos um espelho mágico que sempre quando precisássemos nos dissesse que não estamos sendo coerentes conosco mesmos. O ideal seria que o espelho mágico nem precisasse dizer nada, bastava refletir nossa imagem fazendo uma careta. Pronto! Recado dado.

 

Por que é tão difícil alinhar o nosso discurso com nossas ações? Somos bombardeados diariamente com milhões de informações por segundo – de notícias políticas à auto-ajuda, tudo com uma pitada de memes espalhados ao longo do dia para divertir. Informações para todos os gostos e necessidades. Não podemos dizer que não sabemos ou não temos conhecimento. Tudo, ou quase tudo, está a um google de distância.

 

Em compensação aproveitamos a tecnologia e suas facilidades para nos blindarmos de nós mesmos. Assim, ocupamos todas as nossas 24horas sem necessariamente olharmos no espelho para nos conhecer melhor. Fazemos selfies, sim. Mas não paramos para olhar nos olhos da imagem refletida. Para perguntar – “Como você está?”; “Quais as suas dores e alegrias?” E assim vamos seguindo, construindo uma imagem para as redes sociais; replicando partes de discursos que vimos em algum lugar, sem parar para refletir – “E eu? Como vivo isso?”; “O que podia ter feito de melhor nessa situação?”; “Realmente agi como eu digo que agiria?”

 

Espelho, espelho meu! Quem sou eu?

 

Quem sou eu? Essa pergunta que tanto martelou nas cabeças dos gregos lá atrás se perdeu sem nem mesmo ter se achado. Não sei como, mas hoje a pergunta que ressoa é “Quem eu quero ser hoje?” O hoje faz toda a diferença, já que não preciso responder pelo meu pensamento e opiniões de ontem ou de amanhã.  O que vale é o hoje. E mesmo esse hoje, se puder jogar para o outro a responsabilidade, tudo bem.

 

Me pergunto o que tanto nos assusta quando olhamos no espelho? Nossas vulnerabilidades? Nossos medos? Fracassos? Inseguranças? Mas sem eles não veríamos nossa coragem, nossa força e determinação. Escolhemos viver pela metade. Ver apenas uma cópia com filtro  de Instagram da nossa imagem. Dependendo do filtro pode até fazer sucesso com um grupo ou outro, mas no entanto, nada é tão bonito quanto uma imagem sem filtro. Ela é inteira. É luz e sombra. Nua e crua ou pura poesia, mas sempre, emoção.

Podemos em vão tentar enganar o espelho mágico, mas mais cedo ou mais tarde ele vai sempre cobrar a nossa verdade – “Quem é você? É coerente com seus discursos em suas ações?”

 

Quanto da nossa vida perdemos por não assumir possíveis erros e pedirmos desculpa quando ainda há tempo. Ou quando não dizemos Eu te amo por medo da resposta. Vale aqui a reflexão – o que está nos impedindo de vivermos nossas palavras? De sermos e mostrar-nos como realmente somos. Não tenho dúvida que a vida seria mais fácil, se cada um vivesse um pouco a sua verdade. Por um mundo mais verdadeiro e íntegro.

Anúncios
Sobre Anna Gabriela Malta (17 artigos)
Anna Gabriela Malta é fotógrafa documentarista e gestora da instituição sem fins lucrativos Sociedade Providência, dedicada a educação de crianças de baixa renda na Zona Sul do RJ. Acredita no trabalho de formiguinha para transformar o mundo através da educação e do envolvimento de cada um na sociedade. agmalta@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: