Mancha de óleo nas praias do Nordeste

 

 

A cada dia o governo Bolsonaro tem um novo episódio na área ambiental; dessa vez as manchas de óleo das praias do nordeste vem deixando o Ministro do Meio Ambiente de cabelos brancos. O derramamento começou em 2 de Setembro de forma silenciosa, sem muito interesse por parte da mídia e do governo, porém as manchas tomaram as praias nordestinas afetando o ecossistema. Mais uma vez, o governo demorou para tomar posicionamento, deixando chegar a um mês para começar a investigação.

Petrobrás foi chamada para analisar a origem do vazamento e sinalizou, avisando que o petróleo derramado é de origem estrangeira. Já o presidente em um pronunciamento com a imprensa avisa que tem uma bandeira estrangeira no radar. Veja bem, tem uma bandeira estrangeira! Isso significa que ainda não se sabe a origem do navio que fez esse crime.

Linkezine, questionou os órgãos envolvidos e só conseguiu algumas notas. Vejam elas:

  • Marinha soltou uma nota oficial:

“MARINHA DO BRASIL CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL  DA MARINHA NOTA À IMPRENSA Brasília-DF. Em 10 de outubro 2019.

 Com relação ao grave acidente de poluição por óleo, ocorrido na costa do Nordeste brasileiro, a Marinha do Brasil informa que vem atuando, diuturnamente, desde a primeira ocorrência, em 2 de setembro, na contenção e neutralização dos efeitos danosos à natureza e à população, bem como na investigação quanto à origem e responsabilidades. Todas as ações são coordenadas com o MMA, IBAMA, Polícia Federal, Força Aérea Brasileira, Petrobras, além de instituições estaduais e municipais. A Marinha contabiliza a mobilização de 48 Organizações Militares, com emprego de 1.583 militares, 5 navios, uma aeronave, além de embarcações e viaturas pertencentes às diversas Capitanias dos Portos, Delegacias e Agências, sediadas ao longo do litoral nordestino. Após uma triagem das informações do tráfego mercante na região de interesse, a Marinha está notificando 30 navios-tanque de 10 diferentes bandeiras a prestarem esclarecimentos. A Marinha entrará em contato com as autoridades competentes dos países dessas bandeiras, com a Organização Marítima Internacional e com a Polícia Federal, visando elucidar todos os fatos. As atividades em curso também têm apoio do Ministério da Defesa e Exército Brasileiro e de instituições dos EUA.

 

  • A Policia Federal assumiu a investigação, também soltou uma nota oficial:

Natal/RN – A Polícia Federal instaurou, no mês de setembro, através de ato de ofício, inquérito policial para apurar a origem da substância de aspecto oleoso, encontrada em diversas praias nordestinas, em especial, em inúmeras praias potiguares, a partir do mês de setembro último.

A ação foi tomada tão logo surgiram as primeiras informações, na imprensa nacional, sobre o fato; bem como sobre a possibilidade da ocorrência de eventual dano ambiental de grandes proporções na região.

As investigações estão concentradas na Superintendência Regional da PF no Rio Grande do Norte, contando com a participação das áreas de combate aos crimes ambientais, de inteligência e de perícia.

As diligências estão em andamento desde a instauração do inquérito policial e contam com a participação de diversas instituições, dentre elas o IBAMA, a Marinha do Brasil, Universidade Federal Rural de Pernambuco e o Ministério da Defesa (CENSIPAM).

Comunicação Social da PF

 

  • O IBAMA por e-mail fez esse breve anunciado:

O Ibama realiza a avaliação do impacto ambiental e dá direcionamento de ações de resposta à fauna, bem como orienta sobre a destinação de resíduos e sobre a limpeza das praias, definindo prazos das ações de limpeza e quais os ambientes devem ser priorizados. O Instituto também realiza o monitoramento ambiental e a gestão da emergência.

A investigação da origem das manchas de óleo está sendo conduzida pela Marinha, enquanto a investigação criminal é objeto da Polícia Federal.

O Ibama permanece atento às novas áreas com presença de óleo, realizando as vistorias e orientações necessárias.

 

Atenciosamente,

                                                                                         

Assessoria de Comunicação do Ibama

 

Linkezine, também pediu para o Instituto Ecoar, avaliar o impacto do derramamento. Segue abaixo a resposta da presidente da instituição: “

Enquanto se discute de onde vem o óleo que chega às praias do Nordeste, ele continua a causar danos à vida marinha, a causar a morte de incontáveis seres que vivem logo abaixo da camada superficial de areia, a provocar prejuízos econômicos aos trabalhadores do setor do turismo e às centenas de pequenos negócios da orla marítima em nosso país. Saber de onde veio esse óleo pode ser importante para cobrar responsabilidade da fonte, minimizar os prejuízos financeiros, mas não resolve os danos ambientais, não devolve a vida aos seres marinhos e à microfauna, não repara o impacto nos ecossistemas. A atividade petroleira é plena de riscos em todas suas fases e, portanto, requer imensa responsabilidade e inúmeros cuidados de quem a exerce.

Não parece que esta seja a realidade uma vez que acidentes com petróleo continuam a acontecer, seja na extração, no armazenamento, no refino ou no transporte, apesar de todo avanço tecnológico.Só há uma explicação: o dinheiro, a ganância de auferir mais lucros, fala muito mais alto que os cuidados com o meio ambiente e as pessoas.

Triste mundo este em que vivemos!  

                                                                                           São Paulo, 14 de outubro de 2019.

     Miriam Duailibi

       Presidente

Instituto Ecoar para Cidadania

 

 

Já o Senador Alessandro Viera liberou esse vídeo para demostrar seu descontentamento com o episódio:

 

 

 

 

 

 

 

 

Sobre Josué Júnior (283 artigos)
Josué Júnior, carioca, fotógrafo profissional pós- graduado pela faculdade Cândido Mendes. Há mais de dez anos no mercado fotográfico com ênfase em moda e publicidade. Atualmente fotografa para o site Versão Masculina, especializado em comércio de produtos masculinos. Em sua empresa Arte foto Designer, desenvolve seu trabalho autoral, que pode ser apreciado na sua pagina : www.facebook.com/fotosjosuejunior?ref=bookmarks ,ou em seu Instagran .https://www.instagram.com/josuelbjr/

3 comentários em Mancha de óleo nas praias do Nordeste

  1. Péricles G. Albuquerque // 14/10/2019 às 8:46 pm // Responder

    Parabéns, meu irmão! É fundamental estarmos informados, um TAG.

    Curtir

  2. Péricles G. Albuquerque // 14/10/2019 às 8:47 pm // Responder

    Um TFA

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: