Malévola, a dona do mal

 

 

Malévola, um ser alado com chifres, presas, unhas grandes, ou garras, e um olhar penetrante. Assim Angelina Jolie elaborou sua caracterização da personagem. Em uma entrevista ela confessa que Malévola tem um pouco dela e ela tem um pouco dessa personagem. Logo no começo do filme Elle Fanning trava uma cena com Angelina, sua madrinha, muito difícil onde a autoridade é confrontada. E essa cena é a senha para saber como será a trama principal que conduzirá o filme. Elle Fanning como Aurora, é uma menina de vinte e um anos, contracenando com veteranas, com boa atuação, segura, e conseguindo ter bons diálogos com Michele Pfeiffer e Angelina Jolie.

 

Temos que destacar a maquiagem e os efeitos especiais. A maquiagem pode levar esse filme a concorrer ao Oscar, já com relação aos efeitos especiais, faltou um pouquinho de investimento da Disney, tá caprichado mas poderia ser melhor. Joachim Ronning, o diretor norueguês, já teve uma indicação ao Oscar por melhor filme estrangeiro do filme KonTiki, entrega um filme justinho sem muito sobressalto, mas não é possível ver sua marca. O filme fica com o carimbo da Disney, como é de costume para um Blockbuster. Como todo movie, onde o enredo é sobre a luta do bem contra o mal e no final tudo fica bem, Malévola não decepciona quem for assistir, poderá lembrar de filmes como Nárnia. É verdade! As cenas de batalhas fazem lembrar a luta do Leão Aslam contra a Rainha do Gelo. Brincadeiras à parte, Malévola, a dona do mal, vale uma conferida pela mensagem que leva em ter que acabar com as diferenças, e nos lembrar que não podemos julgar as pessoas pela aparência e sim pelas suas atitudes.

Vale a conferida!

 

 

Sobre Josué Júnior (544 artigos)
Josué Júnior, carioca, pós- graduado pela faculdade Cândido Mendes. Atua no mercado com sua empresa Arte Foto Design é proprietário do site de conteúdo Linkezine. Registro Profissional: MTb : 0041561/RJ

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: