Cadê a Marcia, Queiroz?

A prisão de Queiroz foi motivada pelas tentativas de manipular provas, constranger e ameaçar testemunhas e interferir nas investigações sobre o esquema das rachadinhas, que está sendo investigado pelo Ministério Público (MPRJ), e pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Márcia Oliveira de Aguiar, esposa de Queiroz, tornou-se foragida da justiça pelas mesmas acusações de seu marido. Segundo relatos, Queiroz, motivado por forte preocupação com sua esposa, não tivera se alimentado, recusando-se a tocar na comida que lhe foi oferecida. Ele também demonstrara insatisfação quanto às vestes concedidas, reclamando do uniforme que é oferecido aos detentos. Mas, o que está de fato tirando o sono de Queiroz é a falta de informação do paradeiro de sua esposa. Márcia, segundo o que dizem, pressionada e para livrar-se da justiça, pode falar mais do que deveria.  

A busca por seu paradeiro segue em três estados: SP, RJ, MG. O Ministério Público do Rio de Janeiro apreendeu, na casa de Márcia em operações anteriores, documentos que apontam um recebimento no valor de R$ 174 mil, em dinheiro de uma origem ainda desconhecida. Com a prisão de Queiroz, aumentaram os mistérios. Como ele ficou esse tempo todo escondido na casa do ex-advogado do Flávio Bolsonaro?

O senhor Frederick Wassef fez várias declarações na tentativa de se explicar, mas nenhuma convenceu da sua veracidade. Para completar a pantomima apareceu a advogada Ana Flávia Rigamonti, que teve contato com Queiroz e que, em áudios divulgados pela grande mídia, acobertara pequenas viagens do casal. Nesses áudios, a advogada parecia saber a real situação em que viviam Marcia e Queiroz.

Ainda bem que a OAB-SP abriu um inquérito para investigar a conduta do senhor Frederick Wassef! Para muitos no Planalto, ele mais parece uma bomba ambulante prestes a explodir. Antes desses acontecimentos, ele bradava para todos que sabia tudo que acontecia no clã dos Bolsonaros, e agora está posto de lado e sem os seus clientes vips. Para piorar sua vida, Frederick precisará explicar as falas da sua ex-empregada Ana Flávia Rigamonti, que ajudou a acobertar por mais de um ano, o paradeiro de Queiroz e sua esposa.

O caso das rachadinhas pode ser a ponta de um grande iceberg que, aos poucos, começa a ser desvendado. O que já se sabe é que Queiroz é investigado junto à sua esposa pelo MP-RJ. A rachadinha ocorreu no gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro entre abril de 2007 e dezembro de 2018. Os promotores apontaram Queiroz como o operador financeiro de um esquema que movimentou mais de R$ 2 milhões no período, e com a participação de ao menos 11 servidores, que repassavam 40% dos seus salários — média de R$ 15 mil por mês. Segundo levantamento realizado pelo site UOL, os recolhimentos eram feitos próximos às datas de pagamentos dos salários de funcionários fantasmas da Alerj. Todos eram ligados à Queiroz por relações de parentesco, vizinhança ou amizade, aponta o MP-RJ. Entre eles, Márcia Oliveira de Aguiar, que recebeu mais de R$ 1 milhão no período.

Acreditando que a justiça será feita Linkezine irá acompanhar passo a passo dessa investigação.                        

Sobre Josué Júnior (397 artigos)
Josué Júnior, carioca, pós- graduado pela faculdade Cândido Mendes. Atua no mercado com sua empresa Arte Foto Designer, é proprietário do site de conteúdo Linkezine , @linkezine . Dentro do site abaixo é possivel ver um pouco da atuação da Arte Foto Designer no mercado : https://www.omnistore.net.br/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: