Faz escuro mas eu canto

34ª Bienal de São Paulo com uma sugestão de percurso?

Abertura ao público. © Levi Fanan / Fundação Bienal de São Paulo
Já pensou em visitar a 34ª Bienal de São Paulo com uma sugestão de percurso? Quer saber um pouco mais sobre as obras? Ou, ainda, fazer uma visita sonora pela exposição sem sair de casa? Pensando em atingir o maior número de pessoas possível, a Fundação Bienal de São Paulo correalizou, com o Goethe-Institut, o audioguia inclusivo da 34ª Bienal, com a consultoria do Mais Diferenças e apoio do Musea. Vinte obras de arte e objetos que compõem a mostra foram selecionados para criar um percurso que passa por todos os andares do Pavilhão, podendo funcionar como um contato inicial com a exposição e algumas de suas ideias fundamentais.

Com narração de Marília Gabriela, Adriana Couto, Sara Bentes e André Trigueiro, cada uma das faixas possui ambientação sonora exclusiva, apresenta histórias curiosas relacionadas às obras, comenta processos dos artistas e conta com audiodescrição dos trabalhos. Além disso, no Musea, estão disponíveis vídeos em que o conteúdo das faixas é interpretado em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Você pode acessar o audioguia gratuitamente pelo site 34.bienal.org.br/audioguia, baixando o aplicativo do Musea ou pelos QR Codes disponibilizados nas legendas das obras selecionadas.

Além do audioguia, a 34ª Bienal de São Paulo conta com uma série de iniciativas de acessibilidade e inclusão, planejadas com o apoio da consultoria especializada Mais Diferenças, que desenvolveu um projeto abrangente envolvendo diversas instâncias da exposição. Veja aqui quais os cuidados adotados para que todos se sintam bem-vindos e tenham suporte e autonomia em sua experiência com a mostra.

Ativações da obra
deposição
Localizada no vão central do Pavilhão da Bienal, a obra de Daniel de Paula, Marissa Lee Benedict e David Rueter ressignifica uma antiga roda de negociações da bolsa de valores de Chicago que pode ser livremente ocupada pelos visitantes e conta com uma ampla programação de ativação.

Confira a programação desta semana! Show de Maria Gadú   Retrato de Maria Gadú. © Fernando Banzi Nos próximos dois sábados, a obra deposição vai receber dois shows gratuitos com grandes nomes da música brasileira: Maria Gadú e BNegão!

Neste sábado, 13 de novembro, às 19h, Gadú, uma das principais artistas da nova MPB, vai revisitar clássicos de seu repertório com nova roupagem e uma sonoridade mais urbana e contemporânea. Saiba mais sobre o show aqui!

Conversação com os grupos de teatro
Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes, Brava Companhia e Antropofágica 11/11, quinta, às 19h
Inspirada nos textos do dramaturgo alemão Bertolt Brecht, os grupos de teatro realizam uma intervenção performática sobre o atual contexto de fome no país, a especulação financeira e a reforma agrária.


Conversação com
Renato Lopes, Tai Nascimento e Uila 13/11, sábado, às 16h
Os educadores conversam sobre as relações entre arte, educação e mediação cultural, inclusive no contexto da 34ª Bienal de São Paulo.


Espaço de
mediação
Localizado próximo à entrada da exposição, o espaço de mediação do térreo é o ponto de encontro para algumas das atividades organizadas pela equipe de educação. Confira abaixo a programação da semana e inscreva-se! As vagas são limitadas.


Círculo de arte #10
Cartas de Joel Rufino para o seu filho 11/11, quinta, e 13/11, sábado, às 16h
Inspirados nos princípios de autonomia, horizontalidade e dialogicidade, propostos por Paulo Freire, o encontro é dedicado ao enunciado Cartas de Joel Rufino para o seu filho e às obras ao seu redor.


Bienal para crianças
Som do silêncio 13/11, sábado, às 15h
A visita é um convite à escuta das sonoridades invisíveis por meio de pegadas, frestas e ventanias. O percurso inclui obras de Carmela Gross, E.B Itso, Gustavo Caboco, Joan Jonas e o enunciado Objetos do Museu Nacional.
Visita temática
Rasurando a perspectiva de “universal” 13/11, sábado, às 11h30
A partir do pensamento de Édouard Glissant e das obras do artista Jaider Esbell, a visita propõe uma investigação poética dos artistas, dos enunciados e da arquitetura para além das categorias trazidas por ciências nascidas em um contexto positivista e universalizante, como a etnologia e a antropologia.

Visita temática
Ensaios afrodiaspóricos: amando a negritude como resistência política 14/11, domingo às 16h
A visita dialoga com obras da 34ª Bienal que enfatizam sonoridades afrobrasileiras populares e enfrentamento em diferentes contextos sociais, culturais e políticos. Também busca tratar de questões em torno da autorrepresentação e circulação da imagem.


Performances
  Vista da performance The Complete Works [A obra completa] na 34ª Bienal de São Paulo. © Levi Fanan / Fundação Bienal de São Paulo Mette Edvardsen
Time Has Fallen Asleep in the Afternoon Sunshine [O tempo adormeceu ao sol da tarde]

Performers recitam livros de memória para os visitantes da exposição (30 minutos de duração). Para participar, basta se inscrever no térreo.

Quando: 9/11 (terça); 10/11 (quarta); 11/11 (quinta); 13/11 (sábado); e 14/11 (domingo); – 10h às 18h30
Local: térreo


Nina Beier
The Complete Works [A obra completa]

Bailarinas e bailarinos aposentados apresentam, de memória, todas as coreografias de sua carreira, reencenando-as em ordem cronológica e sem interrupções.

Quando: 11/11 (quinta) e 13/11 (sábado), às 18h; 14/11 (domingo), às 16h
Sobre Josué Júnior (563 artigos)
Josué Júnior, carioca, pós- graduado pela faculdade Cândido Mendes. Atua no mercado com sua empresa Arte Foto Design é proprietário do site de conteúdo Linkezine. Registro Profissional: MTb : 0041561/RJ

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: