Nova via ou terceira via?

Fernando Henrique, no alto da sua sabedoria, balbuciou: “A polarização não é a solução para o Brasil, precisamos do caminho do meio, ou seja, uma terceira via”. Depois de firmar esse pensamento, falado em alto e bom som, a política brasileira inicia uma peregrinação para conhecer o nome escolhido para representar a terceira via. Nessa peregrinação, Ciro Gomes alerta que “aqui não tem terceira via, aqui é a primeira via”, rejeitando de cara o estigma de candidato da terceira via.

Dória, o rejeitado, não vê a hora de usar o botton de candidato da terceira via. Nessa estrada da política, essa nova nomenclatura já começa a ficar de lado, abrindo caminho para uma nova via, só não se sabe como será, ou seja, o que se tem de verdade é essa nota oficial assinada.

Imagem da carta:

A princípio, a nota representa um grande acordo, ou pelo menos um esforço para se seguir adiante, sendo necessário obter um candidato capaz de enfrentar uma extrema direita e uma esquerda tendendo a centro. No meio de toda essa confusão existe um povo desnorteado que tenta, a todo custo, fazer o certo.

Entre tantas reuniões e conversas no ouvido, o que temos na verdade é um PSDB em chamas, com a discórdia entre os grupos de João Doria e Aécio Neves. Aécio está na tentativa de forçar uma situação nada agradável dentro do partido, junto com o seu “protegido” Eduardo Leite. Ele vem incendiando o PSDB e o motivo desse imbróglio são as prévias de novembro de 2021, na candidatura a presidente, onde a derrota para Dória não desceu redondo na garganta de Aécio, assim como a derrota para Dilma, em 2014. Aécio parece um menino mimado que não sabe perder, por isso fica atazanando os seus desafetos, com confrontos nas sombras. Essa é a sua forma de agir, todos conhecem seu método, mesmo não sendo público, nem visível, percebe-se que ele é o quinhão do PSDB.

Já os outros partidos precisam lidar com as vaidades internas de cada membro. No caso do partido União Brasil 44, composto por dois partidos de pensamentos e atitudes diferentes, mas que mantem o mesmo objetivo, razão que garante a sua união. Para muitos, essa legenda consegue ir do respeito ao calafrio. Seus oponentes respeitam o tamanho que a bancada tem, além dos políticos experientes que ela abriga. O União Brasil 44, quando sentar para discutir a melhor candidatura no dia 18/05, será o partido com mais influência. Tenho certeza que o candidato, ou candidata escolhido pelo União Brasil será aquele que terá a maior chance de sair vitorioso, ou vitoriosa dessas eleições presidenciais.

O partido Cidadania firmou uma federação com o PSDB. Essa federação deixou o Cidadania navegando em calmaria, mesmo com a saída do senador Alessandro Vieira para o PSDB. O contraditório é que ele saiu do Cidadania justamente para o partido em que não aceitou a federação, vai entender. Roberto Freire presidente do Cidadania convive com o jogo político há muito tempo e por essa razão torna tudo mais fácil e mais leve em seu partido. Nessa calmaria temos o Baleia Rossi, presidente do MDB, entusiasta da senadora Simone Tebet, que talvez possa ser a única candidata com valor para mudar o destino da nova via, afinal ela é oriunda de um MDB, quando ainda era PMDB e tinha Ulisses Guimarães como farol. No currículo de Simone Tebet consta prefeitura, governo e agora senado, sendo que ela trilhou por uma estrada muito próxima a de seu pai Ramez Tebet. O poder e a governança não é novidade para Simone Tebet, muito menos saber negociar quando existem adversidades, pois ela é bem articulada e sabe como enfrentar cada problema desfavorável.

Por último, não podemos esquecer do PODEMOS, esse partido traído por Moro e abandonado pelo movimento MBL. Moro ainda tenta dar seus primeiros passos na política de forma trôpega, entrou com pombas de presidente do PODEMOS e saiu como traidor para ingressar no União Brasil e ficar refém de políticos que não o toleram. O que eles preferem é vê-lo como um iniciante, dando seus primeiros passos como um nome forte a concorrer a algum cargo de maior relevância.

E assim de lado, ou de marcha ré, vai a nossa política e nossas opções para cargos públicos. Confesso que minha torcida, no momento, é para Simone Tebet. Espero que a maturidade dos presidentes destes partidos que sentarão à mesa prevaleça e que o nome de uma mulher seja anunciado como a Nova Via!                     

Sobre Josué Júnior (642 artigos)
Josué Júnior, carioca, pós- graduado pela faculdade Cândido Mendes. Atua no mercado com sua empresa Arte Foto Design é proprietário do site de conteúdo Linkezine. Registro Profissional: MTb : 0041561/RJ

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: