O livro vencerá a arma

Marcelo Freixo, que estava visivelmente emocionado, fez muitas referências sobre como pretende ver o estado e uma delas ficou gravada na minha memória: “O livro vencerá as armas”

Começou a corrida eleitoral e agora é para valer! Restam três meses até o dia 2 de outubro, parece pouco, mas é o suficiente para que tenhamos muitos imbróglios. Um deles já foi visto na passagem de Lula, pelo Rio de Janeiro. Foi perceptível o desconforto que se instalou entre André Ceciliano e Alessandro Molon, ambos disputam a mesma vaga para o Senado. Esse episódio não foi salutar para ambos. Nos bastidores, muitas histórias surgiram e uma delas diz respeito a um abaixo assinado organizado por simpatizantes do PT, sugerindo a saída de Molon da disputa. Outro abaixo assinado foi organizado pelo grupo aliado a Molon, solicitando sua candidatura. Em um evento fechado, na quadra de samba da Unidos da Tijuca, só André Ceciliano discursa. Já no dia seguinte, André declara: “Eu fiquei no PT quando ninguém queria ficar, aqueles que saíram foram covardes”. Na política é comum o jogo de palavra e dessa vez Celiliano deixou um recado muito claro para Molon. Ele lembrou 2015, ano em que Alessandro Molon se desligou do PT. Talvez o desentendimento entre PT e Molon seja uma consequência dessa saída, de 2015. Na minha opinião, a relação entre PT e Alessandro Molon resume-se em uma punição arrogante e insensata do partido.  Alessandro Molon está com 18% nas pesquisas, enquanto Ceciliano tem 4%.  Já que os números não mentem, o PT estaria impondo a Molon uma penalidade descabida?

Vídeo:

O comício teve seus altos e baixos. A segurança formou um cinturão que garantia, aos simpatizantes, um evento seguro baseado num dia de pura celebração. Ainda que seguro, três explosões de bombas aconteceram no local, uma delas composta por fezes humana, mas o autor foi preso em fragrante. Essa intercorrência causou uma interrupção de 20 minutos no evento e um breve tumulto, nada mais que isso.

Vídeo:

No palanque, tudo correu muito bem, os discursos afinados, sorrisos largos e muita disposição para levar uma nova mensagem ao público. A mensagem que ficou do evento foi a de união, com amor e respeito. Marcelo Freixo, que estava visivelmente emocionado, fez muitas referências sobre como pretende ver o estado e uma delas ficou gravada na minha memória: “O livro vencerá as armas”. Com essa fala, Freixo reforça seu papel de educador, mandando um forte e contundente recado a Claudio Castro.

Que venha um novo amanhã com amor e livros! Chega de armas e polarização! O cidadão Fluminense está carente de Educação, Saúde, Infraestrutura, Segurança e Emprego. Que a mensagem propagada por Marcelo Freixo, em seu discurso, torne-se realidade. Fico aqui na esperança de dias melhores com menos violência e mais educação.               

Sobre Josué Júnior (685 artigos)
Josué Júnior, carioca, pós- graduado pela faculdade Cândido Mendes. Atua no mercado com sua empresa Arte Foto Design é proprietário do site de conteúdo Linkezine. Registro Profissional: MTb : 0041561/RJ

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: